Santuário Ecológico

O homem trabalhando em harmonia com a natureza.

O Santuário Ecológico de Pipa possui 3 setores e 16 trilhas abertas ao público, cada uma com diferentes objetivos e atrações.

CUIDADOS: 
Antes de partir, o visitante deverá se informar sobre a condição da trilha escolhida, a qual depende do programa semanal de limpeza e podação. 

Pedimos a todos que ajudem a manter a harmonia ecológica da área e minimizem o risco de acidentes, observando as regras de comportamento na floresta.  

REGRAS DE COMPORTAMENTO NA FLORESTA

1º Usar Roupas adequadas.
2º Não levar animais domésticos.
3º Cuidar para não provocar incêndios.
4º Respeitar as cercas e portões.
5º Não desviar das trilhas.
6º Jogar lixo somente nos cestos.
7º Não sujar as fontes de água.
8º Andar com cuidado pelos caminhos para não provocar acidentes.
9º Escutar as orientações do guia.
10º Respeitar a vida da floresta.

TRILHAS ECOLÓGICAS (Graus de dificuldade: Fácil 1 2 3 4 5 Difícil)

CAMINHO DO JACÚ (200 m) – GRAU 2

Trilha Luminosa e arejada que passa pela parte mais elevada da Chácara do Madeiro, 80m acima do nível do mar.

CAMINHO DOS PIRATAS (100 m) – GRAU 4
Inclui a emocionante escada de corda pela qual se alcança a enseada do Madeiro, propícia para o banho de mar.

VEREDA DA MOÇA BRANCA (400 m) – GRAU 3

Paisagem encantadora por um túnel onde o visitante parece estar brincando de esconde-esconde com o mar.

CAMINHO DA JIBÓIA (340 m) – GRAU 3

Trilha serpentina que desce até o recanto mais ermo da floresta, antes de subir para um encontro emocionante.

PASSEIO DO PEROBA (300 m) – GRAU 1

Gracioso caminho que contorna as falésias da ponta do Madeiro, desfrutando vistas poéticas, ora para o sul, ora para o norte.

ESCADA DO VELHO CASTELO (90 m) – GRAU 4

Ao ritmo emocionante da arrebentação, esta escada leva da Toca da Caipora até a luminosa Prainha, ponto de espreita para barcos e golfinhos.

RASTRO DO TATU (150 m) – GRAU 3

Leva o visitante de volta à entrada, vencendo a ladeira de maneira suave. Evita o risco associado com a subida pela estrada de piçarro, usada por carros.

VÔO DO VAGA-LUME (200 m) – GRAU 2

Trilha em zigue-zague comemorando o pequeno inseto que é o feiticeiro das noites escuras de inverno. Termina na Escada do Maracajá.

CAMINHO DO CAMALEÃO (600 m) – GRAU 4

Como sugere o nome, é uma trilha com muitas mudanças de cor, clima, visual e demais pontos de interesse.

DESCIDA DO MARACAJÁ (90 m) – GRAU 4

Escada íngrime descendo do mágico Mirante da Meia-Lua até o espelho da Lua Cheia.

CAMINHO DO CHORRÓ (100 m) – GRAU 2

Pequeno “tira-gosto” que leva o visitante da “sala de espera” para o início das outras trilhas, dando-lhe a chance de testar seu preparo físico para as caminhadas maiores.

TRILHA DA AVENTURA (150 m) – GRAU 1

Só para crianças! Cheia de Surpresas!

É necessário apanhar o folheto especial para participar desta brincadeira.

HISTÓRIA – A criação do Santuário Ecológico

A Chácara do Madeiro é ao mesmo tempo um monumento histórico, uma reserva ecológica e um laboratório do futuro.

Foi aqui que em 1980 o Sr. Charles Capelle, engenheiro elétrico responsável pelo projeto ITAIPU, se refugiou para escapar dos males da civilização e tentar estabelecer uma vida mais equilibrada, baseada na auto-sustentação.

Desde o século XVI a área tem sido visitada por procuradores de madeira – uma das matas locais ainda exibe o nome “Mata do Pau-Brasil”. No seculo XIX fazia parte da fazenda do João Armógenas, cujos ultimos escravos (Dona Joaquina e Dona Antonia) faleceram faz poucos anos em Pipa.

Mais recentemente o Madeiro entra nas mão da família local Borges, que arrenda a área para a plantação de roçado e pasto de gado. Só desde 1976 que a mata começa a se recuperar e demorará muitos anos até alcançar a nobre altura da floresta antiga.

Na época em que o Sr. Charles se instalou, a praia da Pipa ainda não tinha rede de energia nem agua, às vezes faltava até comida, mas com o espírito de aventura ele encontrou soluções originais para todos os problemas, como você verá. Enquanto cultivava seu jardim de orquideas e árvores miniaturas se dedicou à confecção de finas obras de arte, algumas das quais estão a mostra Museu que traz o seu nome.

Atualmente a Chácara é local de uma intigrante experiência científica: o treinamento e soltura de animais silvestres para recompor a antiga fauna da região (reintrodução controlada). Paral tal se tem o apoio do Centro de Recuperação e Reintrodução de Animais Silvestres (CERRAS) em Natal, e de uma equipe de voluntários dedicados.

Para não prejudicar essa experiência e não pertubar a harmonia ecológica da área pedimos ao visitante para respeitar as poucas regras que colocamos no verso da senha de ingresso, com o título “Código de Comportamento na Mata”.

Av. Baia dos Golfinhos, Praia da Pipa
Tibau do Sul - Rio Grande do Norte - Brasil

Formulário de Contato:

GOSTOU? ENVIE PARA ALGUÉM!

Veja Também!

Sibaúma

Vilarejo do antigo quilombo

Bem-te-vi

Colorido no céu

Jiu Jitsu

A arte milenar que cativa o público Pipense